Sobre o Mercado de Publicidade no Brasil

Estamos inseridos em um mercado de alta escala e crescimento relevante.

Em termos absolutos, o Magna Media Forecast estima que o meio OOH faturou R$2,2 bilhões em 2019 no Brasil, e faturará R$1,8 bilhão em 2020, o que representa uma queda de 18% comparado com o ano anterior principalmente por conta dos impactos da pandemia em relação à restrição de circulação de pessoas. Segundo as projeções, o nível de faturamento pré-pandemia será atingido novamente em 2023, considerando o mercado de OOH total, que compreende a veiculação de mídia OOH em painéis estáticos e digitais. O segmento de OOH digital, que representa cerca de 40% do OOH total, faturou R$0,9 bilhões em 2019, e foi menos impactado negativamente pela pandemia apresentando uma queda de faturamento em 2020 de 11%Estima-se que este segmento irá recuperar o nível de faturamento realizado em 2019 já em 2021. Devido ao diferencial de taxas de crescimento, com o segmento de OOH digital apresentando taxas mais altas, em 2024 a modalidade digital passará a representar 52% do faturamento total de OOH no Brasil.

 

Para os próximos anos (2020 a 2024), a expectativa é que haja um crescimento dos investimentos em publicidade no Brasil em 2 segmentos: smartphones e OOH digital, o que causará forte aumento em suas participações de mercado em comparação aos outros meios de comunicação.

 

 

O setor de OOH no Brasil tem baixa penetração dentro do mercado de publicidade como um todo, principalmente quando comparado a outras regiões do mundo. Segundo o Magna Media Forecast, em 2019, o Brasil apresentava penetração de 4,2% para o segmento de OOH total, enquanto regiões como a América Latina (6,9%), Europa Central e Leste (8,0%), Ásia e Pacífico (8,3%) e Europa Ocidental (6,7%) apresentaram penetração significativamente superior. Isto explicita a subpenetração de OOH no Brasil e seu potencial de crescimento futuro conforme o país torna-se mais desenvolvido.